Fragmentos #10

perder

 

Nem toda ideação suicida é planejar a morte. Às vezes é apenas deixar-se. É não se importar mais. Não ligar para a falta de prazer, e desistir de procurá-lo. É imaginar como seria não mais existir. Atravessar a rua e imaginar como seria se um carro o acertasse em cheio. É imaginar a morte em muitas formas, sem compromisso, sem escolher, sem planejar; é morrer dentro da mente. É deixar de apreciar a vida. Olhar o mundo da altura da cama. Perder a estima por si mesmo. É perder a esperança de um dia melhor. É sentir raiva e não tentar controlá-la. É sentir tristeza e não mais se surpreender com seu tamanho, sua intensidade, sua persistência. É sentir desânimo e convidar o desânimo para jantar, para dormir, para o café da manhã, para se hospedar em sua casa.

O antropólogo Joseph Campbell notou um padrão se repetia nas histórias, nas ficções e lendas. Era o mito da jornada do herói. Através de seu livro O Herói de Mil Faces, publicado em 1949, essa jornada arquetípica tornou-se conhecida. Nós a reconhecemos nos livros e filmes, nas séries e espetáculos. Ali está o personagem vivendo sua vidinha num lugar comum, mas algo terrível acontece e ele é chamado para empreender uma aventura que poderá salvar a humanidade. Primeiro o herói recusa. Mas então encontra seu mentor (sempre há um mentor), e resolve aceitar o desafio. Seguem-se provações, inimigos, aliados, combates, e a grande batalha final. Por fim, o herói retorna vitorioso.

Mas tais acontecimentos, a jornada, não ocorrem somente com protagonistas de filmes hollywoodianos. Todos nós temos um chamado à aventura. Muitos, aliás. Talvez não seja matar um dragão ou proteger um anel, mas temos que deixar nosso lugar comum, o conhecido, e sair por aí, e superar obstáculos, e resolver o problema. Para, quem sabe, voltar vitoriosos para casa.

 

Quer ser minha madrinha ou meu padrinho? Ajude o Bipolar e Afins a crescer clicando aqui! 🙂 Obrigada!!! ❤

Anúncios

2 comentários em “Fragmentos #10”

  1. Em um dado momento da vida, saimos a questionar nossas certezas e precisamos colocar nossa capa de herói e trilhar o caminho da incerteza , mas que pode nos levar a um maior autoconhecimento e a expansão da consciência.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s