Fragmentos #7

depressao_vitimismo

 

Papo franco: há uma grande diferença entre depressão e vitimismo. Há a depressão, essa força que nos aprisiona, que surge do nada, independentemente de você estar feliz ou não. Entenda, pode ser que você tenha tudo e se sinta péssimo, e pense que sua vida não tem valor, e não sinta prazer algum com suas riquezas e bonanças. E também pode ser que sua vida seja/esteja um desastre. E ainda assim a depressão vem do nada e sem controle. Pois sua vida já estava ruim antes de estar deprimido. Não é causa e consequência, mas é sua mente tentando encontrar justificativa para seu pesar. Nossa mente é lógica, racional, quer entender. E quem procura, acha. E ela encontra e enumera seus fracassos; então você pensa “estou miserável porque sou um fracasso”. Mas a depressão não tem relação com seu fracasso, nem com seu sucesso. A depressão muda sua interpretação do que é sucesso e fracasso, e faz tudo parecer insuficiente, inclusive você mesmo; você nunca será bom o suficiente. Então você está ali vendo tudo desmoronar, e pode ser que você reclame sobre o quão horrível e injusta a vida pode ser, pode ser que você se isole para pensar em silêncio e sozinho no quão horrível e injusta a vida pode ser. Existem algumas pessoas, entretanto, para quem a vida sempre é horrível e injusta e nada nunca é bom o suficiente, estando ou não durante uma crise de depressão. São pessoas que acham que tudo é difícil e adoram um “mas”, ou seja, mesmo em algo maravilhoso sempre encontram um defeito. São pessimistas e vitimistas. São, acima de tudo, narcisistas, pois acreditam que o mundo gira ao seu redor e todas as pessoas agem de forma a desagradá-la. Deve haver um ganho em seu modus operandi, provavelmente no sentido de obter atenção e consolo. Imagino, entretanto, que não percebam suas ações e seu mau-humor constante. Nem mesmo notam que, ao invés de despertar compaixão, afastam os que estiverem por perto. Há grandes diferenças, podemos ver, entre estes e aqueles, os com depressão, embora muitos os confundam. Existem também grandes semelhanças. Aos depressivos deixo o alerta: cuidado para não se tornarem vitimistas. Aos vitimistas, o desejo sincero de que possam deixar o pessimismo de lado e aproveitem mais a vida, ainda que ela seja perfeitamente imperfeita.   

 

Às vezes é preciso puxar o band-aid, de uma vez só, sem hesitação. É como desligar o chuveiro num dia muito quente ou muito frio. Cessar a água na temperatura perfeita para aplacar o sofrimento e provocar prazer. Às vezes é preciso desligar o prazer, desfazer o marasmo de deixar a água cair passivamente, arrancar o band-aid. 

 

Quer ser minha madrinha ou meu padrinho? Ajude o Bipolar e Afins a crescer clicando aqui! 🙂 Obrigada!!! ❤ 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s